Notícias

ANCINE detalha investimentos de R$ 1,96 bilhão via FSA no 27º FAM


Mesa do Fórum Audiovisual Mercosul reuniu especialistas e profissionais do setor

Para iniciar o Fórum Audiovisual Mercosul, o 27º Festival de Cinema Florianópolis Audiovisual Mercosul-FAM 2023 recebeu nesta segunda, 25, Fabiana Trindade, secretária de Políticas de Financiamento e Laís Lopes, superintendente de Fomento da ANCINE, que apresentaram os investimentos realizados pela agência.

A ANCINE aportou no setor via Fundo Setorial do Audiovisual R$ 1,96 bilhão desde 2022. Somando FSA e as Leis de Incentivo, são R$ 2,4 bilhões em 2023. Quanto às contratações de investimento do FSA em 2002, R$ 258 milhões já foram contratados em 2023, em 218 projetos.
Nas novas Chamadas Públicas do FSA lançadas em 2023 serão R$ 446,8 milhões, sendo R$ 313 milhões em duas voltadas para o cinema; Edital Ruth de Souza (R$ 36 milhões); TV/VoD (R$ 90 milhões); coprodução Brasil-Portugal (R$ 1,8 milhão) e Cinema nas Cidades – Apoio ao Pequeno Exibidor (R$ 6 milhões).

A agência atualmente tem 1402 projetos inscritos e 244 selecionados nas chamadas públicas recentes; 21% dos projetos selecionados envolvem coprodução internacional, sendo a França o principal país. Quatorze propostas de produção e duas de comercialização envolvem o Mercosul, principalmente a Argentina.

“A diversidade é uma pauta importante a ser tratada no comitê gestor nos próximos editais. Entre os projetos inscritos, apenas 28 envolviam diretores não brancos”, observou Laís Lopes. Para ampliar a participação, citou o lançamento pelo Ministério da Cultura do Edital Ruth de Souza, que favorece as mulheres e cotas raciais.

“Entre as outras leis de incentivo, temos 725 projetos aprovados para captação, foram liberados R$ 343 milhões, e ainda temos a Lei Paulo Gustavo, é um ano bastante interessante com relação ao aporte de recursos federais no mercado”, complementou Fabiana Trindade.
Ao todo, 13 mil produtoras independentes estão registradas na ANCINE, sendo que empresas individuais representam 29% delas e metade têm entre 10 a 20 anos de existência e 19% das empresas estão na região sul. Entretanto, o número de produtoras ativas nos últimos 7 anos é de 3,6 mil empresas e 82% pertencem aos níveis 1 e 2, com base no número de CPBs emitidos.

Com relação à exibição, em 2022 foram lançadas 173 obras brasileiras e 212 estrangeiras. Dos longas brasileiros produzidos, apenas 31% chegaram às salas de exibição. Nas cotas de TV paga vigentes, os números passaram de 18 para 31% de conteúdo nacional, com exibição em todos os canais.

As representantes da ANCINE destacaram o aumento do teto para produções de longas-metragens, que agora passa a ser de R$ 7,5 milhões. A seleção é feita por uma comissão mista da ANCINE e profissionais credenciados, com garantia de cotas e distribuição regional. Para as TVs abertas, o teto dos valores foi ampliado para R$ 5 milhões em produção.

Entre as questões apontadas pelo público para a ANCINE estão o investimento praticamente inexistente em mostras e festivais e uma proposta de desconcentração e descentralização dos recursos, regulação do streaming e VoD apontada pela Associação das Produtoras Independentes do Audiovisual Brasileiro - API.

A programação completa do FAM 2023 pode ser conferida no www.famdetodos.com.br/programacao e nas redes sociais (@famdetodos).
Consulte a classificação indicativa e as medidas de acessibilidade para as diversas atividades.
O 27º Florianópolis Audiovisual Mercosul - FAM 2023 é produzido com o patrocínio ANCINE - Agência Nacional do Cinema e Sebrae. Através da Lei de Incentivo à Cultura, tem o patrocínio Itaú Unibanco. Realização da Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Prêmio Catarinense de Cinema, Fundação Catarinense de Cultura, Estado de Santa Catarina, Ministério da Cultura, Governo Federal União e Reconstrução.

Parceiros