Notícias

ECM 2019: dia foi de muito pitching e rodadas de negociação

One-to-one permite apresentação individual do projeto para os players
One-to-one permite apresentação individual do projeto para os players

Segundo dia do Encontro de Coprodução do Mercosul 2019 foi marcado pelo início das rodadas individuais de negociação entre produtores e players de mercado. Chamado de one-to-one, formato é novidade no Festival Audiovisual Mercosul – FAM

O segundo dia do Encontro de Coprodução do Mercosul – ECM 2019 foi de muita expectativa e nervosismo entre os produtores selecionados para apresentar seus projetos para os 13 players de mercado presentes no evento. Além dos momentos reservados para os pitchings, quando os representantes têm cinco minutos para apresentar seus projetos para diversos players simultaneamente e passam por alguns questionamentos, o ECM contou com rodadas de negociação individuais. Os chamados one-to-one permitem uma apresentação individual do projeto para um determinado player. O formato, que é novidade no FAM 2019, traz maior proximidade e permite que os produtores entendam melhor a demanda do mercado.

Catarina Accioly, produtora de um documentário já em desenvolvimento, saiu animada de seu primeiro one-to-one: “Se continuar assim, vou sair daqui muito feliz”. Victoria Hurst, da Bahia Visual Produções, começou a empreender este ano e diz que esse tipo de encontro permite maturar muito os projetos e entender o que funciona e o que não funciona para o mercado. “Foi com os resultados das sessões one-to-one que conseguimos amadurecer um de nossos projetos e, assim, vencer um edital”, conta.

Para os players, as rodadas de negociação também são vantajosas. “É uma oportunidade de estreitar os laços e entender o que os produtores e diretores estão buscando”, comenta Ricky Hiraoka, da Paris Entretenimento e Paris Filmes.

Valorização do cinema e das mulheres
O segundo dia do ECM 2019 também abriu espaço para apresentação do trabalho realizado por algumas produtoras e distribuidoras. A Elo Company, distribuidora da animação O Menino e o Mundo, indicada ao Oscar, apresentou o selo Elas, projeto que oferece consultoria para diretoras mulheres com profissionais de renome do mercado. A iniciativa, que tem como objetivo aumentar a representatividade das mulheres no cinema, atua nos campos executivo, artístico e jurídico. Em 2018, foram desenvolvidos seis projetos de ficção e três documentários, e, este ano, estão sendo realizados 14 projetos.

Outras duas iniciativas que visam à formação de público e a valorização de filmes brasileiros também foram apresentadas: o projeto Projeta às 7, da Elo Company em parceria com o Cinemark, e o Sessão Vitrine, da Vitrine Filmes.

Estruturação de negócios
A programação de conteúdo do segundo dia do encontro encerrou com uma apresentação sobre como estruturar um plano de negócio para projetos audiovisuais. Paulo Serra, da Bússola Audiovisual, ressaltou a importância de identificar o interlocutor para adaptar o discurso para o que realmente interessa e, assim, ter o máximo de retorno. “Todo contato feito é um pitch, por isso o produtor deve estar sempre muito bem preparado e ser sucinto”, explicou.

O 23º Florianópolis Audiovisual Mercosul teve o investimento do Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE, Fundo Setorial do Audiovisual - FSA, Agência Nacional do Cinema - Ancine, com realização da Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Pátria Amada Brasil, Governo Federal.

O ECM 2019 é uma produção da Associação Cultural Panvision, Petrus Barretto Advogados Associados e Muringa Produções Audiovisuais, com apoio institucional BRAVI - Brasil Audiovisual Independente, Instituto de Pesquisa Boca a Boca e Latam Cinema.




Parceiros