Notícias

Resistência das mulheres guarani contra a violência

Foto Eduardo Lopes
Foto Eduardo Lopes

Exibido na Mostra Videoclipe desta sexta, a produção Ore kunhangue, que significa Nós Mulheres, une rap e ritmos tradicionais guarani para falar de violência e opressão contra mulheres guarani da aldeia Itaty, no Morro dos Cavalos, em Palhoça. Com direção de Luiz Fernando Machado, a música do grupo Mbya Resiste foi gravada durante uma oficina do projeto Vida Sonora, parte de uma série documental com seis episódios realizados em Laguna, Criciúma, Florianópolis Blumenau, Palhoça e na aldeia Mbya Guarani pela Cufa – Central Única das Favelas.

Eliziane Antunes, 21 anos, uma das cantoras do videoclipe no qual todos da aldeia participaram, veio com sua família para a sessão. Ela é filha de Ivete de Souza, brutalmente atacada em 2017 na aldeia por dois homens brancos. Ivete foi torturada e teve a mão esquerda decepada. Ela estava presente na sessão. A aldeia, que busca a homologação de suas terras às margens da BR 101, também já foi atacada a tiros. Estes são apenas alguns dos episódios de violência que o videoclipe aborda.

“Não sabemos identificar, são pessoas de fora que usam outras pessoas. Essa música a gente fez num momento de muita luta que estamos passando. Venho de uma família de lideranças, na nossa aldeia a cacique é mulher, minhas duas irmãs são lideranças, recebemos muitas ameaças e a gente não tinha como falar sobre isso. O governo e várias coisas oprimem a gente, nos calam. Dessa forma conseguimos contar nossa realidade e denunciar. Sofremos muito preconecento por ser mulher e indígena ao mesmo tempo”, relata. Ela é professora na escola bilíngue da aldeia. Estudava cinema na UFSC, mas teve que desistir pois houve corte de bolsas, e também teve um filho. “Penso em voltar. A gente tá na luta”.

Em cada episódio do projeto Vida Sonora um artista local foi contemplado com todos os equipamentos para gravação do videoclipe. “Todos fizeream parte da equipe técnica, trabalhamos juntos o roteiro e demos voz e vez para artistas desconhecidos no estado e até mesmo no município”, explica o produtor Vinícius Billy. O videoclip teve um produtor local guarani, que trabalhou na escolha de locações e na preparação dos artistas.

Assista o videoclipe na íntegra.

A programação completa do Festival está disponível no site www.famdetodos.com.br e os ingressos para as sessões podem ser adquiridos no site www.ingresso.com ou diretamente na bilheteria do complexo Cine Show do Beiramar Shopping. O 23º Florianópolis Audiovisual Mercosul teve o investimento do BRDE, FSA, Ancine, com realização da Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Pátria Amada Brasil, Governo Federal.


 




Parceiros