Notícias

FAM 2019 - Começa a 23ª edição consecutiva

Antônio Celso dos Santos, diretor-geral do FAM, foto Daniel Guillamet
Antônio Celso dos Santos, diretor-geral do FAM, foto Daniel Guillamet

Uma cerimônia no hall do Cine Show, no Beiramar Shopping, deu início ao Florianópolis Audiovisual Mercosul - FAM 2019, na tarde desta quinta, 26. O diretor-geral do FAM, Antônio Celso dos Santos, lembrou que este é o primeiro festival a abarcar o audiovisual do Mercosul e a mostrar o que há de mais inovador no mercado futuro da área, tornando-se reconhecido por isso. Neste ano o festival registrou o maior número de inscrições de filmes de sua história, 1.164, sendo apenas 80 selecionados para as mostras competitivas. Ao todo, serão exibidos 121 filmes, incluindo produções convidadas. Além dessa quantidade de filmes, mais que o dobro do ano anterior, são 60 atividades, em cinco locais.

A abertura teve a presença de realizadores e autoridades públicas e da classe audiovisual, como Roseli Maria Pereira, superintendente da Fundação Franklin Cascaes, Roselaine Barboza Vinhas (presidente do Conselho Estadual de Cultura), Cíntia Domit Bittar (ElaSCine e API), a produtora Assunção Hernandez (Congresso Brasileiro de Cinema). e representantes do Funcine, Santacine, Cine Show, Convention Bureau e das universidades Unisul, UFSC e Univali.

Celso destacou o retorno do FAM ao centro da cidade, depois de 15 anos entre o Centro Integrado de Cultura e a Universidade Federal de Santa Catarina, assim como o papel que o FAM exerce de estimular realizadores de Santa Catarina a produzir e a exibir. “Um evento desse porte tem impacto na formação de público, da cidadania. As pessoas são estimuladas a se verem em outras culturas, numa grande gama de produções. Estamos em outros tempos, cinema também é política, é um espaço para pensarmos o que está acontecendo no audiovisual brasileiro e da América Latina”.

Em seguida, Felipe Nepomuceno, diretor do documentário Eduardo Galeano Vagamundo, apresentou seu filme, que abriu as mostras competitivas. “Estou muito emocionado abrindo um festival com uma obra como Galeano, um filme dedicado à literatura e aos livros. Precisamos de mais livros e menos armas, mais escolas e menos presídios, mais mulheres dirigindo festivais”, disse. Dedicou a sessão, entre outros, à atriz Fernanda Montenegro.

O FAM 2019 tem o investimento do Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE, Fundo Setorial do Audiovisual - FSA, Agência Nacional do Cinema - Ancine com realização da Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Pátria Amada Brasil, Governo Federal.




Parceiros