Notícias

A história de uma violência sem fim


Baseado em acontecimentos reais da violenta crônica política colombiana da segunda metade do século 20, o longa La Sargento Matacho, de William González, lançado em setembro do ano passado em circuito comercial na Colômbia, terá sua estreia nas telas brasileiras no 22º FAM - Florianópolis Audiovisual Mercosul, que acontece de 19 a 24 de junho no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. O longa que conta a história de Rosalba Velasco, a primeira bandoleira colombiana, será exibido no dia 22, sexta-feira, na Mostra Longas Mercosul.

A ação se passa entre os anos de 1946 e 1962, período conhecido como La Violencia, época em que os conflitos sociais e políticos dominam a Colômbia e arrastam pessoas numa espiral de brutalidade que serve como única saída para a sobrevivência. Em 1948, o marido de Rosalba (Fabiana Medina), um camponês de inclinações liberais, é assassinado por policiais a mando de fazendeiros conservadores. Ela testemunha o massacre e passa por uma processo de despersonalização que a transforma em um instrumento de vingança e morte.

Durante a próxima década, a Sargento Matacho, como se tornou conhecida, foi responsável pela morte de inúmeros policiais e civis, e virou o alvo principal do exército colombiano, da polícia e das milícias paramilitares da época. Apesar do recorte histórico, o filme aborda questões muito presentes no passado recente da Colômbia.

Elogiada por sua atuação, Fabiana Medina poucas vezes usa a voz para encarnar a sua personagem, utilizando o olhar para comunicar o estado mental destroçado da mulher que de forma alguma é mostrada como uma heroína, mas sim como uma assassina que sofreu na própria carne a violência do conflito permanente do país. Nos papéis secundários estão dois grandes atores: o mexicano Damián Alcázar (de A Passageira e Mangoré, por amor al arte, ambos exibidos no FAM) e o colombiano Marlon Moreno (Perro come perro).


O 22º Florianópolis Audiovisual Mercosul tem o patrocínio do Funcultural, Fundação Catarinense de Cultura, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esportes, Governo do Estado de Santa Catarina, do Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE - , Fundo Setorial do Audiovisual - FSA -, Agência Nacional de Cinema - Ancine - , com apoio da Secretaria de Cultura e Arte da Universidade Federal de Santa Catarina e realização Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Ministério da Cultura e Governo Federal.

 

Apoio