Notícias

Jornada de três mulheres à procura de si mesmas


Curtametragista premiada com os filmes Mulheres Choradeiras (2000) e Ribeirinhos do Asfalto (2011), a cineasta paraense Jorane Castro apresentará o seu primeiro longa de ficção, o road movie feminino Para Ter Onde Ir, no 22º FAM – Florianópolis Audiovisual Mercosul, que acontece de 19 a 24 de junho no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. O filme será exibido no sábado, dia 23, na Mostra Longas Mercosul.

Rodado entre abril e maio de 2015, com direção de fotografia do pernambucano Beto Martins, Para Ter Onde Ir narra a viagem de três mulheres desde Belém até a praia da Atalaia, em Salinópolis, no nordeste do Pará. Três mulheres com origens e desejos diferentes, com visões distintas sobre a vida e o amor, que partem de um cenário urbano em direção a uma das mais belas paisagens da Amazônia Atlântica.

“Este é um filme de estrada sobre deslocamento, mas também uma história de busca pessoal, de questionamentos sobre para onde você vai, o que você vai deixar de legado e a que você se propõe nesta jornada”, disse Jorane no lançamento do filme em Belém, no mês passado. "É um drama romântico e musical. É uma história feminina e paraense, que conta uma viagem que quase todo mundo que vive em Belém já fez. Elas vão parando nos lugares e conversando com as pessoas até chegar à praia maravilhosa, onde vão a uma festa, à noite", afirmou ela.

No elenco principal está a atriz, bailarina e cantora Lorena Lobato, que vive Eva, prática marítima responsável por orientar navios de grande porte a atracarem na barra de Belém. Suas companheiras de viagem são interpretadas por Keila Gentil, cantora do grupo Gang do Eletro, no papel de Keithylennye, ex-dançarina de tecnomelody e moradora da comunidade da Vila da Barca, um conjunto de palafitas na periferia de Belém, e a atriz Ane Oliveira que vive Melina, uma mulher idealista, livre e sem compromissos.

Para embalar a jornada das personagens, a trilha sonora escolhida por Marcel Arêde, produtor da nova cena musical paraense, é repleta de antigas pérolas do cancioneiro brega local e canções de artistas atuais como Lia Sophia e Felipe Cordeiro.
 

O 22º Florianópolis Audiovisual Mercosul tem o patrocínio do Funcultural, Fundação Catarinense de Cultura, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esportes, Governo do Estado de Santa Catarina, do Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE - , Fundo Setorial do Audiovisual - FSA -, Agência Nacional de Cinema - Ancine - , com apoio da Secretaria de Cultura e Arte da Universidade Federal de Santa Catarina e realização Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Ministério da Cultura e Governo Federal.

Apoio