Notícias

Fórum discute políticas e questões criativas do setor audiovisual

Painéis são abertos e gratuitos
Painéis são abertos e gratuitos

Seis painéis do Fórum Audiovisual Mercosul no FAM 2017 vão discutir diversos aspectos da produção e da criação audiovisual, com a participação das principais instituições públicas do setor, realizadores e grandes empresas parceiras da produção cinematográfica. Realizado desde a primeira edição do FAM, o Fórum é reconhecido como um dos principais espaços na América Latina para discutir as questões mais emergentes do cinema na região e impulsionar ações concretas, como o é o caso das coproduções entre países.

O FAM 2017 tem o patrocínio Funcultural/ Fundação Catarinense de Cultura, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esportes, Governo do Estado de Santa Catarina, da Petrobras e do Governo Federal, com apoio da Secretaria de Cultura e Arte da Universidade Federal de Santa Catarina e realização da Associação Cultural Panvision.

O fomento às produções, principalmente do Sul do país, é tema de dois encontros, um sobre o Fundo Setorial do Audiovisual, na quarta-feira,às 15 horas, com o diretor da Ancine, Roberto Lima, Leticia Restano do BRDE e mediação de Nildo Ouriques (IELA/UFSC), e outro na quinta, às 10 horas, sobre o Procult, mecanismo de fomento do BNDES, com Luciane Gorgulho (BNDES), Rodolfo Pinto da Luz (FCC) e Marcelo Seixas, do Funcine. Os estados do Sul apresentam poucos projetos a esses mecanismos de incentivo e há mais espaço de exibição, sobretudo na televisão paga e na internet, e crescente interesse de investidores em histórias e produções regionais. 

O crescimento do mercado de vídeos sob demanda e as alternativas latino-americanas, com produções mais autorais, a plataformas como o Netflix será abordado na quinta, 15 horas, por João Massarolo, professor da UFSCar e Gabriel Portela, da SPCine. Na quinta também acontece a Reunião dos Sindicatos do Audiovisual da Região Sul. Na sexta, 10 horas, um painel é dedicado às trilhas sonoras, com Livio Tragtenberg, compositor de músicas para cinema e outras produções culturais e Nestor Habkost (Educação UFSC).

Uma atualização do cenário da distribuição audiovisual, grande gargalo do cinema dos países da região, é a proposta do painel de sexta, 15 horas, com a participação de alguns dos principais nomes do cinema independente no Brasil, Ana Luiza Beraba (Esfera Filmes), Beto Rodrigues (Panda Filmes), Ruan Canniza (Vitrine Filmes) e Alfredo Manevy (mediador, Cinema UFSC).

No sábado, às 14 horas, uma mesa-redonda trata da produção cinematográfica da Nigéria, um dos países que mais realiza cinema no mundo, com produções de baixo custo presentes nos principais festivais mundiais. Uma comitiva de realizadores e produtores do país vem para falar da cultura do país, as particularidades da produção nacional e possibilidades de coprodução. Participam os produtores, diretores e roteiristas Mahmood Ali-Balogun, Muywa Ojo, Osezuah Elimihe, Moses Babatope,Yinka Ogun´s e a cineasta Tope Oshin, considerada uma líder feminina na África. 

Os eventos serão na sala Pitangueira do Centro de Cultura e Eventos da UFSC, com entrada aberta e gratuita. Apenas quem quiser certificado deve fazer a inscrição neste link: www.sympla.com.br/famdetodos

As atividades do fórum incluem uma série de palestras e oficinas, e algumas ainda têm vagas, informações aqui: http://www.famdetodos.com.br/oficinas

 

 

 

Similar posts

Apoio