Notícias

Selo EcoVision: a construção de relações sustentáveis no audiovisual

Desenvolvido pela Panvision, iniciativa é pioneira na América Latina e visa boas práticas ambiental
Desenvolvido pela Panvision, iniciativa é pioneira na América Latina e visa boas práticas ambiental

A Associação Cultural Panvision no contexto da agenda 2030, baseando-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e consciente das necessidades de mudanças globais no impacto de produção de todo mercado produtivo, implementa uma proposta de valorização das práticas na América Latina lançando em 2021 o projeto piloto do Selo Verde EcoVision, com o principal propósito de conscientização da importância das boas práticas para o desenvolvimento sustentável no setor audiovisual.

A iniciativa tem o objetivo de minimizar o impacto ambiental derivado das produções audiovisuais e reconhecer as produções que já aplicam diversas ações positivas. O projeto propõe um conjunto de selos associados, catálogo de empresas e profissionais, calculadora calibrada a realidade na América Latina, fundos aderentes, consultoria e capacitação.

O Selo Verde EcoVision, trabalha com a diferença de realidade de cada país latino americano, visando promover a sustentabilidade social e ambiental das produções audiovisuais e orientar os produtores a trabalhar de forma sustentável em relação aos processos como por exemplo: compensação de CO2, Educação da Equipe para práticas de Sustentabilidade, uso de material reciclado ou reutilizável, redução e destinação dos resíduos gerados.

Foi exatamente sobre este tema que os 12 projetos participantes do laboratório do ECM+LAB, evento de mercado do Festival Internacional de Cinema Florianópolis Audiovisual Mercosul - FAM 2021, receberam consultoria. Durante os encontros on-line, realizados em meados de agosto, foi possível perceber que a maioria dos profissionais do audiovisual tem interesse em tornar as produções sustentáveis. Porém, muitas vezes por falta da organização de todas as informações sobre o assunto ou, até mesmo, que oriente sobre como é possível fazer isso, optam por não fazer.

“As pessoas têm se interessado muito em diminuir o impacto no set, mas não de maneira sistematizada, e o selo surge, também, para sistematizar ações práticas de como diminuir o impacto nas produções audiovisuais”, explica Daniel Celli, consultor para indústria audiovisual e políticas públicas e integrante do grupo de trabalho de desenvolvimento do Selo EcoVision.

Celli ainda ressalta que ações simples como incentivar que cada profissional envolvido em um set de filmagem tenha sua própria caneca, substituindo o uso dos copinhos de plástico, algo que já é praticado por algumas produções é uma das pequenas mudanças que podem ser realizadas tanto no set quanto no escritório, o que pode inclusive resultar em uma economia financeira na produção.

"A conscientização da importância da sustentabilidade em todo o ecossistema do setor audiovisual é o ponto principal para que nossas ações tenham resultados duradouros. Ações de boas práticas que vão se tornando espontâneas e assim manteremos de forma sustentável a produção audiovisual. Temos que urgentemente manter uma relação amigável com o planeta em que vivemos", diz Tiago Santos, diretor de produção do FAM e integrante do grupo de trabalho de desenvolvimento do Selo EcoVision .

O Selo Verde EcoVision considera as diferenças regionais no Brasil e na América Latina e, justamente por isso, a implementação torna-se ainda mais possível. Também leva-se em conta, os novos protocolos de higienização devido à Covid-19 que acabam gerando mais lixo, como as máscaras descartáveis. Como nem sempre é acessível comprar máscaras reutilizáveis, é necessário que outras ações compensem o lixo gerado pelas descartáveis.

"O Selo EcoVision para as produções audiovisuais traz um conceito mais abrangente e necessário para sustentabilidade: ambiental significa todo o ecossistema em que vivemos, planeta e sociedade. Um planeta social e ambientalmente responsável e equilibrado em suas relações. O audiovisual pode fazer diferença na prática e nessa comunicação," salienta Mauro Garcia, presidente executivo da Brasil Audiovisual Independente - BRAVI e integrante do grupo de trabalho de desenvolvimento do Selo EcoVision .

"Temos uma ousada meta de até 2030, que o manual de boas práticas seja aplicado em todas as produções audiovisuais Latino Americanas", almeja Marilha Naccari, diretora de programação do FAM e integrante do grupo de trabalho de desenvolvimento do Selo EcoVision.

O tema também será abordado no "Painel Film Commission - Film Friendly - Green Film - Show me the Fund", durante a programação do ECM+LAB do FAM 2021, marcado para quarta-feira (29.09), às 10h. Para inscrições e informações, acesse www.famdetodos.com.br.

O 25º Florianópolis Audiovisual Mercosul tem o patrocínio do Sebrae e é uma realização da Associação Cultural Panvision e Muringa Produções Audiovisuais.
 



Parceiros