Histórico

Em 1997, a Panvision deu vida ao Florianópolis Audiovisual Mercosul - FAM, festival que se consagrou como um dos acontecimentos audiovisuais mais importantes do Sul do Brasil e que agora celebra sua 23ª Edição. Em todos esses anos, o FAM conquistou o reconhecimento do público e da classe pelo trabalho de difusão cultural das diversas cinematografias do Brasil e dos países do Mercosul.

A história do FAM é uma história de sucesso, de ineditismo e de um constante aperfeiçoamento dos canais de comunicação entre público e profissionais do setor audiovisual no Brasil e nos países do Mercosul. Um dos pilares do FAM é o Fórum Audiovisual do Mercosul criado para discutir políticas para o desenvolvimento do setor nos países que constituem o bloco.

O objetivo de fomentar a formação de público, difundir obras inéditas e viabilizar o debate de temas da plataforma audiovisual tem sido plenamente atingido. Mais do que isso, a cada ano aumenta a procura do público e a participação de cineastas, diretores e produtores do mercado audiovisual que atuam no Brasil e nos países do Mercosul.

Conheça um pouco da nossa história:

 23º Florianópolis Audiovisual Mercosul: Nova data, novas casas e resistência

Setembro passou a ser o mês do FAM que pelo terceiro ano consecutivo bateu recorde de número de inscritos. Foram 1164 filmes nas oito mostras competitivas do FAM, crescimento de 47% no número de inscrições e de 112% na quantidade de obras que foram exibidas - 121 produções, 80 em competência e 41 convidadas. Além disso, os filmes vencedores das mostras competitivas receberam mais de R$ 200 mil em prêmios - produtos e serviços - dos parceiros apoiadores do Festival - CiaRio, Cinecolor, DOTCine, Etc Filmes, InnSaei, Link Digital, Mistika, MIX Estúdios, Água Santa Rita.

O ano de 2019 também marcou a volta do FAM ao centro da cidade, ganhando mais qualidade e conforto nas exibições. Os filmes foram exibidos no complexo CineShow do Beiramar Shopping, nas cinco salas ocupadas integralmente pelo FAM que recebeu o público fã de cinema ao longo dos sete dias de festival. No Hotel Majestic, ocorreu o 3º Encontro de Coprodução do Mercosul - ECM, evento voltado para o mercado do audiovisual. As atividades de formação, como palestras, oficinas e seminários foram concentradas no Museu da Escola Catarinense.

O encerramento foi realizado no dia 02 de outubro, no Teatro Álvaro de Carvalho, local histórico e com forte ligação com o audiovisual por ter sediado a primeira projeção cinematográfica na cidade, em 1900, e abrigado, dez anos depois, a primeira sala fixa de cinema da cidade.
Outras novidades do FAM 2019 foram a Mostra Longas Ficção Mercosul, que pela primeira vez foi competitiva e a inclusão da Mostra Work In Progress, em que filmes ainda não finalizados foram apresentados para grandes players do mercado e para um seleto público com a realização de teste de audiência, aplicado pelo Instituto Boca a Boca.

Foram mais de 70 atividades no ECM com a participação de 45 projetos inscritos e 13 players, entre canais de televisão, distribuidoras, produtoras e instituições do Brasil, Colômbia, Argentina, Paraguai, Chile, Uruguai, Bolívia, Peru, Equador e Estados Unidos - Canal Brasil, Box Brazil, CineBrasil TV e TELEFE, Elo Company, Vitrine Filmes, Artkino, FiGAFilms (Los Angeles), Moonshot Pictures, Enquadramento Produções e Paris Entretenimento, além do Salón de Productores e Proyectos do Festival Internacional de Cine de Cali (Colômbia), do IAAviM (Instituto de Artes Audiovisuales de Misiones (Argentina), que faz parte da Red EntreFronteras, e participação da NSC TV, afiliada Globo e TELECINE.

O ECM 2019 , foi uma produção da Associação Cultural Panvision, Petrus Barretto Advogados Associados e Muringa Produções Audiovisuais, com apoio institucional BRAVI - Brasil Audiovisual Independente, Instituto de Pesquisa Boca a Boca e Latam Cinema.
"Sobrevivência e afeto" foi o tema do 3º Rally Universitário Floripa que reuniu 25 estudantes de cinco países - Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia e Paraguai. Os brasileiros serão representados pelos estados de Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná, e contou com os tutores: diretor Cavi Borges, o sociólogo Juan Iván Molina e a cineasta Peri Azar.

Uma parceria entre o FAM e o Instituto Nacional de Cine y Artes Audiovisuales (INCAA) da Argentina levou 14 curtas-metragens brasileiros para o público argentino de forma gratuita através da plataforma CINE.AR PLAY.

O FAM 2019 também entrou na seleta lista de Festivais e Eventos de Cinema aprovados pelo Conselho Nacional de Artes e Cultura Cinematográfica da Colômbia - CNACC - para a aplicação de Estímulos Automáticos do Fundo de Desenvolvimento Cinematográfico - FDC.

Pela primeira vez, o FAM contou com equipamentos que garantiram a acessibilidade de pessoas cegas, surdas e ensurdecidas em 12 filmes do Festival. Ao todo, 100 equipamentos, sendo 50 de audiodescrição e 50 de janela de Libras, inaugurados durante o Festival.
O primeiro filme que contou com os recursos de acessibilidade foi exibido no dia 26 de setembro, Dia Nacional do Surdo. Crisálida – O Filme fez parte da mostra convidada Longas Catarinenses e é uma obra de ficção que retrata o universo de jovens surdos que enfrentam os desafios de uma sociedade desenhada para ouvintes.

O 23º Florianópolis Audiovisual Mercosul tem o investimento do BRDE, FSA, Ancine, com realização da Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Pátria Amada Brasil, Governo Federal.

Confira aqui os Vencedores do FAM 2019!



Parceiros