Histórico

Em 1997, a Panvision deu vida ao FAM, festival que se consagrou como um dos acontecimentos audiovisuais mais importantes do Sul do Brasil e que agora celebra sua 20ª Edição. Em todos esses anos, o FAM conquistou o reconhecimento do público e da classe pelo trabalho de difusão cultural das diversas cinematografias do Brasil e dos países do Mercosul.

A história do FAM é uma história de sucesso, de ineditismo e de um constante aperfeiçoamento dos canais de comunicação entre público e profissionais do setor audiovisual no Brasil e nos países do Mercosul. Um dos pilares do FAM é o Fórum Audiovisual do Mercosul criado para discutir políticas para o desenvolvimento do setor nos países que constituem o bloco.

O objetivo de fomentar a formação de público, difundir obras inéditas e viabilizar o debate de temas da plataforma audiovisual tem sido plenamente atingido. Mais do que isso, a cada ano aumenta a procura do público e a participação de cineastas, diretores e produtores do mercado audiovisual que atuam no Brasil e nos países do Mercosul.

Conheça um pouco da nossa história:

 2016 - FAM: 20 anos de história
Com um público de mais de 30 mil pessoas o FAM 20 anos foi realizado entre os dias 17 e 24 de junho no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina. Em 2016, o festival recebeu 544 inscrições e, pela primeira vez, trouxe o filme vencedor do Festival Oberá en Cortos para a competição na Mostra de Curtas Mercosul - parte do acordo de cooperação firmado no ano de 2015 entre o Festival realizado na Argentina e o FAM. Ao todo, foram exibidos 50 filmes. 30 produções majoritárias do Brasil, Argentina, Peru, Chile, Uruguai e Colômbia foram selecionadas para as quatro mostras competitivas, DOC-FAM, Mostra Curtas Catarinense, Curtas Mercosul e Mostra Infantojuvenil. 

Na Mostra DOC-FAM, dedicada aos documentários, participaram seis produções. Na Mostra Curtas Mercosul, 15 filmes foram exibidos e  nas Mostras Curtas Catarinenses e Mostra Infantojuvenil, sete filmes. Completaram a programação das mostras cinco filmes convidados, além dos filmes produzidos no projeto Santa Cruz 100x100 do FENAVID, na Bolívia.

Pelo segundo ano consecutivo o FAM realizou uma sessão especial da Mostra Infantojuvenil no Hospital Infantil Joana de Gusmão. Mais de 4 mil crianças de 57 instituições participaram da Mostra Infantojuvenil.

Nove filmes foram exibidos na Mostra de Longas do FAM 20 anos: Boi Neon, filme do pernambucano Gabriel Mascaro, Angelus Novus, de Cláudia Cárdenas e Rafael Schlichting, Campo Grande, da carioca Sandra Kogut, Ponto Zero, do cineasta e roteirista gaúcho José Pedro Goulart, Paulina, de Santiago Mitre; Zanjas, de Francisco Paparella; e El Movimiento, de Benjamin Naishtat, Vida Sexual de las Plantas, de Sebastián Brahm, e Mangoré, por amor al arte, com roteiro e direção do chileno Luis Vera.

O Fórum Audiovisual Mercosul, em 2016, foi composto por discussões com temas contínuos como os “Avanços no Mercosul Audiovisual", o encontro das Entidades que debateu a “Conjuntura Atual do Audiovisual Brasileiro", apresentação de estudo inédito com o “Diagnóstico de filmes brasileiros no circuito de festivais" e pelo segundo ano foi abordado o tema “Acessibilidade no cinema". O FAM também reuniu jogadores, desenvolvedores do projeto Novos Talentos – SC Games, no encontro Me deixa jogar? - SC Games e três oficinas - criação de personagens em Papercraft 3D, programação para games e modelagem em 3D. Também foi realizado um encontro do Film commissions que apresentou os avanços da rede em Santa Catarina.

As oficinas: Introdução à direção de fotografia, com o Marco Aurélio Ribeiro, Roteiro para cinema, com Dani Patarra e Coprodução audiovisual para jovens realizadores com o produtor e diretor Luis Lomenha.

A Mostra Paralela de Música recebeu Denise de Castro, a Banda Arroyo e os Afluentes, o compositor, guitarrista e violonista Leandro Fortes, o cantor e compositor François Muleka, Jimi Santos e UBrother, o chorinho do “Vai como der” , o músico e compositor Estácio Neto, o pianista Diogo de Haro e a cantora gaúcha Sílvia Abelin, que também apresentou o seu videoclipe.

Pelo segundo ano consecutivo, o FAM permaneceu com a Campanha “Colorir a criatividade e imaginação das crianças e adolescentes do Hospital Infantil Joana de Gusmão” arrecadando artigos de arte, pintura, livros para doar ao hospital.

Em Cartaz, Filmes Imaginários foi o nome da Mostra de Arte que o FAM 20 anos em parceria com artistas plásticos exibiu na rampa de acesso ao cinema. Com curadoria do artista plástico Paulo Govêa, mais nove artistas produziram cartazes de seus filmes imaginários. Esta ação também proporcionou que mais 22 artistas se unissem e pintassem seus cartazes que foram expostos na Galeria Lindolf Bell durante o mês de julho.

Apoio