Histórico

Em 1997, a Panvision deu vida ao FAM, festival que se consagrou como um dos acontecimentos audiovisuais mais importantes do Sul do Brasil e que agora celebra sua 20ª Edição. Em todos esses anos, o FAM conquistou o reconhecimento do público e da classe pelo trabalho de difusão cultural das diversas cinematografias do Brasil e dos países do Mercosul.

A história do FAM é uma história de sucesso, de ineditismo e de um constante aperfeiçoamento dos canais de comunicação entre público e profissionais do setor audiovisual no Brasil e nos países do Mercosul. Um dos pilares do FAM é o Fórum Audiovisual do Mercosul criado para discutir políticas para o desenvolvimento do setor nos países que constituem o bloco.

O objetivo de fomentar a formação de público, difundir obras inéditas e viabilizar o debate de temas da plataforma audiovisual tem sido plenamente atingido. Mais do que isso, a cada ano aumenta a procura do público e a participação de cineastas, diretores e produtores do mercado audiovisual que atuam no Brasil e nos países do Mercosul.

Conheça um pouco da nossa história:

 2015 - Em 2015, o Florianópolis Audiovisual Mercosul chegou à 19ª edição, realizada nos entre os dias 19 a 26 de junho, no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina, na capital catarinense.

Composto por cinco mostras, quatro delas competitivas - Curtas Mercosul, Curtas Catarinense, DOC-FAM Infantojuvenil – e a Mostra Preferência de Público Itapema FM, exibiu 50 filmes, de 8 países, (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Uruguai) e diferentes estados brasileiros.

Foram 385 inscritos nas mostras competitivas. A boa surpresa foi que dos 39 filmes selecionados, 12 foram catarinenses, evidenciando o amadurecimento e aprimoramento técnico do audiovisual de Santa Catarina.

Fórum Audiovisual Mercosul teve uma agenda focada nos debates sobre Coproduções internacionais, Produção de séries de TV e webséries, Salas digitais, Recam e Coprodução no Mercosul. Pela primeira vez também foi realizado um diálogo sobre acessibilidade no cinema - audiodescrição e legendas para deficientes auditivos e ainda a oficina "Fazendo filmes na escola, o audiovisual na educação", voltada para professores de pedagogia.

O FAM 2015, homenageou dois profissionais que se destacam por suas contribuições ao cinema. Zelito Vianna que dirigiu mais de 50 filmes, produziu quase todos os filmes de Cacá Diegues, Eduardo Coutinho, Glauber Rocha e Walter Lima Junior. E Paulo Mendonça, diretor geral do Canal Brasil (com 14 milhões de assinantes), 12 filmes produzidos ou coproduzidos pelo canal, é também conhecido como roteirista (Prá Frente Brasil) e compositor e diretor de shows para o Secos & Molhados (música "Sangue Latino" em parceria com João Ricardo).

O palco do FAM sempre dedicou espaço histórico de expressão das produções de documentários engajados com os anseios da sociedade civil. E em 2015 não foi diferente, com filmes que destacaram temas como: plano diretor, espaços de manifestações da cultura de capoeira afrobrasileira, ditadura, mobilidade urbana, produção de alimentos para atender a demanda mundial, questionamento sobre os transgênicos e sobre o cultivo de micro produções.
Em 2015, o FAM realizou o lançamento do filme “Das Profundezas“, do diretor catarinense falecido no mesmo ano, Penna Filho, prêmio do Edital de Cinema Catarinense.

O ano também foi marcado pela primeira exibição da Mostra Infantojuvenil no Hospital Infantil Joana de Gusmão para as crianças, jovens e familiares que estavam no hospital e também do lançamento da campanha de arrecadação de lápis de cor, massinha de modelar, giz de cera, livros infantis para serem doados ao Hospital. O FAM vai seguir com a campanha nos próximos três anos, com o desafio de colorir a criatividade e a imaginação das crianças e adolescentes do Hospital Infantil Joana de Gusmão.

Em 2015, uma nova parceria com o Festival “Oberá en Cortos” (Argentina), levou o vencedor da Mostra de Curtas Mercosul para ser exibido como filme convidado na mostra competitiva do festival. Também foi retomado o Prêmio Canal Brasil de Curtas. Além disso, manteve a parceria de cinco anos com o “Trieste Film Festival” (Itália) e com o Festival Fenavid (Bolívia).

O FAM 2015 teve o patrocínio do Governo do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado do Turismo, Cultura e Esporte, Funcultural, Petrobras e Governo Federal - Pátria Educadora. Com o apoio da Fundação Franklin Cascaes, Secretaria Municipal de Cultura, Prefeitura Municipal de Florianópolis, Secretaria de Cultura da Universidade Federal de Santa Catarina e Centro de Ciências da Educação, com a realização da Associação Cultural Panvision.

Apoio