Histórico

Em 1997, a Panvision deu vida ao FAM, festival que se consagrou como um dos acontecimentos audiovisuais mais importantes do Sul do Brasil e que agora celebra sua 20ª Edição. Em todos esses anos, o FAM conquistou o reconhecimento do público e da classe pelo trabalho de difusão cultural das diversas cinematografias do Brasil e dos países do Mercosul.

A história do FAM é uma história de sucesso, de ineditismo e de um constante aperfeiçoamento dos canais de comunicação entre público e profissionais do setor audiovisual no Brasil e nos países do Mercosul. Um dos pilares do FAM é o Fórum Audiovisual do Mercosul criado para discutir políticas para o desenvolvimento do setor nos países que constituem o bloco.

O objetivo de fomentar a formação de público, difundir obras inéditas e viabilizar o debate de temas da plataforma audiovisual tem sido plenamente atingido. Mais do que isso, a cada ano aumenta a procura do público e a participação de cineastas, diretores e produtores do mercado audiovisual que atuam no Brasil e nos países do Mercosul.

Conheça um pouco da nossa história:

 2004 - O 8º Florianópolis Audiovisual Mercosul é o marco divisor do evento em termos de público. Pela primeira vez o evento foi realizado no Centro Integrado de Cultura, o CIC, com a sala de cinema montada no teatro de 900 lugares - o cinema dos anos anteriores tinha 300. Naquele ano foram homenageados os cineastas Glauber Rocha e Rogério Sganzerla. Também foi selado um acordo bilateral entre Brasil e Argentina para distribuição. Entre os curtas, os catarinenses L'Amar, de Sandra Alves, e O Santo Mágico, de Rolando dos Anjos. Na Mostra Longas Mercosul foram exibidos filmes nacionais, uruguaios, argentinos e chilenos. Paralelo às mostras aconteceu o encontro das escolas de cinema, que versou sobre o ensino do cinema no Brasil, Argentina, Chile e Uruguai. O Fórum debateu alcances e limites da integração audiovisual do Mercosul e as conquistas do audiovisual brasileiro.

Apoio