Histórico

Em 1997, a Panvision deu vida ao FAM, festival que se consagrou como um dos acontecimentos audiovisuais mais importantes do Sul do Brasil e que agora celebra sua 20ª Edição. Em todos esses anos, o FAM conquistou o reconhecimento do público e da classe pelo trabalho de difusão cultural das diversas cinematografias do Brasil e dos países do Mercosul.

A história do FAM é uma história de sucesso, de ineditismo e de um constante aperfeiçoamento dos canais de comunicação entre público e profissionais do setor audiovisual no Brasil e nos países do Mercosul. Um dos pilares do FAM é o Fórum Audiovisual do Mercosul criado para discutir políticas para o desenvolvimento do setor nos países que constituem o bloco.

O objetivo de fomentar a formação de público, difundir obras inéditas e viabilizar o debate de temas da plataforma audiovisual tem sido plenamente atingido. Mais do que isso, a cada ano aumenta a procura do público e a participação de cineastas, diretores e produtores do mercado audiovisual que atuam no Brasil e nos países do Mercosul.

Conheça um pouco da nossa história:

 2000 - A quarta edição do FAM consolidou o Festival como a principal ponte para a integração do setor audiovisual do continente. A maratona de exibições começou com a Mostra Internacional de Cinema Catalão. Pela primeira vez todos os filmes estrangeiros receberam legendas eletrônicas em português, uma prática cada vez mais difundida no Brasil. Naquela edição o Fórum de Políticas Audiovisuais contou com a participação do diretor de Windows Media da Microsoft, Marcelo Negrini, que veio explicar como um filme poderia ser transmitido via Internet, uma novidade à época. Também compareceram ao evento os cineastas brasileiros João Batista de Andrade, Tata Amaral, Eduardo Paredes, o representante do sindicato da indústria de cinema Argentina, Mário Lopez Barreiro, a produtora uruguaia Irene Gonçalvez, o diretor do Departamento de Audiovisual do Ministério da Educação do Chile, Ignácio Aliaga, entre muitos e muitos outros.

Apoio