Entrevistas

Abuso sexual também é assunto abordado nas telas do FAM 2019

Trabalenguas exibido na Mostra Curtas Catarinense e Mercosul
Trabalenguas exibido na Mostra Curtas Catarinense e Mercosul

Nahuel Lopardo é Produtor Cinematográfico, Técnico em Comercialização, Programador Android e também foi produtor Executivo do curta-metragem Trabalenguas, dirigido por Gretel Suárez. A narrativa conta a história de Emilia, uma garota que sofre abuso sexual durante uma viagem em família e que tem dificuldades em contar ao pai o que aconteceu, fato que deu nome a história.


O curta será exibido no Beiramar Shopping em três sessões no dia 29 de setembro, às 15h, às 18h30min e às 19h. No dia 02 de setembro terá uma sessão às 16h.


FAM - Trabalenguas tem um assunto muito forte que é o estupro, por que a escolha desse tema? Em que momento foi decidido fazer essa abordagem?

 

Nahuel Lopardo - A motivação para contar essa história foi da diretora Gretel Suárez, ela chegou com essa ideia que apresentava vários desafios. Com o roteirista Alfredo Merlo e toda a equipe técnica e artística decidimos aceitar, nos informar acerca da temática e fazer a nossa tese da ENERC (Escuela Nacional de Experimentación y Realización Cinematográfica) baseada nessa história.
 

FAM - Foi muito difícil desenvolver a narrativa? Quais dificuldades?
 

Nahuel Lopardo - A história foi mudando bastante, mas sempre a partir da estrutura, foi respeitada a ideia original. O grande desafio do narrativo era a gente não cair em golpes baixos. É uma temática dura e difícil, porém acreditamos que é uma história de fatos que acontecem e que precisam serem contados. Foram 6 meses de desenvolvimento com tutoriais semanais nas quais se discutiram diferencias sempre funcionais para melhorar a história.
 

FAM - E na hora da gravação, como foram feitas as cenas?
 

Nahuel Lopardo - Filmamos três dias em um banheiro da ENERC, em Buenos Aires, logo depois filmamos o posto de gasolina e as cenas na viagem à Chivilcoy, província de Buenos Aires. Houve dificuldades pois era uma história difícil de contar, não apenas pela parte narrativa, mas também por conta da produção: protagonistas muito jovens, filmar em um posto de gasolina no meio da rota, etc. Tínhamos que acordar com a equipe, filmar com respeito e profissionalismo, por sorte isso foi entendido desde o início e graças à equipe da ENERC e ao município de Chivilcoy conseguimos realizar-lo desta maneira.

FAM - Como foi feita a escolha do elenco?
 

Nahuel Lopardo - Para as personagens de Emilia e Julia, logo depois de receber a todas as candidatas, formamos pares entre as meninas que poderiam parecer irmãs. Após várias provas e revisões de gravações elegemos a Azul Mattas (Julia) e a Angelina Napoli (Emilia). Os personagens de Lucas Crespi (Celso) e Daniel Posik (Pai) foram uma decisão artística para o personagem.

FAM - O que você espera que seja despertado no público através desse curta?


Nahuel Lopardo - Que seja visível uma situação que possa acontecer em um posto de gasolina abandonado como o de Trabelenguas ou mesmo em lugares mais luxuosos.
 

FAM - É a primeira vez que você produz um roteiro? Já havia inscrito alguma obra para o FAM? O que te levou a fazer a inscrição?
 

Nahuel Lopardo - Não, não é a primeira vez que eu produzo um roteiro, porém é a primeira vez que escrevo uma produção própria para o FAM. Tinha boas referências na Argentina sobre esse festival, sobre os filmes que estão na programação e sobre a grande audiência que tem pelas pessoas da indústria.
 

FAM - Que grau de importância você acredita que o FAM tem para o cinema?
 

Nahuel Lopardo - O FAM nos permite visualizar o cinema latino-americano e nos conectar com as pessoas que fazem o mesmo trabalho em diferentes países. Eu vejo o evento como algo muito importante.
 

FAM - Está satisfeito com o resultado da produção? Mudaria alguma coisa?
 

Nahuel Lopardo - Sim, estou satisfeito com o que fizemos, acredito que serviu para eu crescer enquanto pessoa e me sinto grato por ter sido selecionado no FAM, já que estar presente nos festivais ajuda para que as histórias contadas sejam mais contempladas.
 

FAM - Pretende fazer mais alguma produção futuramente?


Nahuel Lopardo -
Sim, na verdade agora estou desenvolvendo um projeto de longa-metragem com uma produtora argentina para poder filmar no próximo ano. Também estamos trabalhando na ideia de continuar o enredo de Trabalenguas. Estou ingressando na área de conteúdo em 360 graus e no desenvolvimento de plataformas para reproduzir esse conteúdo através do celular. Creio que os dispositivos móveis representam hoje um campo com alto consumo por parte da população, que não foi completamente explorado pela indústria audiovisual e que pode ser potencializado por ela. Peço permissão para agradecer também ao INCAA pelo financiamento desse curta-metragem e por me dar a possibilidade de estar essa semana no FAM.


O 23º Florianópolis Audiovisual Mercosul teve o investimento do Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo Sul - BRDE, Fundo Setorial do Audiovisual - FSA, Agência Nacional do Cinema - Ancine, com realização da Associação Cultural Panvision, Muringa Produções Audiovisuais, Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Pátria Amada Brasil, Governo Federal. 




Parceiros