Entrevistas

O Prometido, produção independente catarinense

Diretor Thiago Araujo
Diretor Thiago Araujo

Filme em competição nos Curtas Catarinenses, O Prometido, de Rodrigo Araujo e Thiago Soares é uma produção independente, realizada sem recursos e com colaboração da equipe. Thiago, um dos diretores, conta como foi produzir essa história de suspense.

Pergunta - Como surgiu a ideia de O Prometido?

Thiago Soares - Em 2015 conheci o Rodrigo Araujo e logo tivemos a ideia de abrir uma produtora de cinema. Escrevemos um curta e o aprovamos em uma lei de incentivo à cultura. Acontece que levaríamos dois anos para captar o valor necessário e estávamos com muita vontade de fazer algum filme. Então resolvemos criar uma história de fácil execução, ou seja, sem dinheiro. Reunimos os profissionais que conhecíamos, mostramos o projeto e todos toparam na hora que leram o roteiro. O filme foi gravado em apenas um dia e foi um processo bem rápido desde a criação do roteiro até a finalização.

Pergunta - De que temas e subtemas trata e que referências teve?

Thiago - O tema principal é a boa e velha história de casa mal assombrada e um mistério que envolve aqueles que a habitam. As principais referências foram "O Bebê de Rosemary” e um pitaco de Alfred Hitchcock.

Pergunta - Conte um pouco sobre os aspectos dessa produção independente.

Thiago - É totalmente independente. Ninguém foi remunerado. Eu e o Rodrigo criamos a história, elaboramos o projeto e fomos atrás de profissionais que topassem fazer o filme simplesmente pela vontade de fazer filme. E tivemos um resultado muito positivo. Primeiro apresentamos o projeto para a produtora Komodo Imagine Motions, que é uma parceira nossa, e em seguida eles nos ajudaram a buscar algumas pessoas para a equipe. A escola de atores Aktoro nos auxiliou na seleção dos atores.

Pergunta - O que achou de ser selecionado para o FAM?

Thiago - Incrível. É realmente um prazer e satisfação enorme ter nosso filme selecionado para um evento desse tamanho. Mostra que todo o esforço se fez valer a pena. Nos motiva a cada vez mais fazer aquilo que amamos: filmes!

Fale um pouco da tua experiência com audiovisual.

Thiago - Eu trabalhava em agências de publicidade com direção de arte, porém nada relacionado com audiovisual. Em 2012 comprei uma câmera e aí tudo mudou. Comecei a fazer videoclipes e coisas relacionadas à publicidade. Até que no ano de 2015 comecei a trabalhar em uma produtora de vídeos e vivenciar diariamente o audiovisual. Ali conheci o Rodrigo Araujo, que já trabalha há 15 anos com cinema. Ele me mostrava vários trabalhos dele e isso me despertou a paixão pelo cinema. Então criamos a Vila dos Frames, uma produtora exclusivamente de cinema onde escrevemos roteiros, elaboramos projetos e dirigimos nossas obras. Já temos dois curtas-metragens, O Prometido, que será exibido no FAM, e outro chamado Redenção. Recentemente gravamos um média-metragem intitulado O Depoimento de Ivo Zimmerman, que será lançado no dia 6/7 no CIC

O FAM 2017 tem o patrocínio Funcultural/ Fundação Catarinense de Cultura, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esportes, Governo do Estado de Santa Catarina, da Petrobras e do Governo Federal, com apoio da Secretaria de Cultura e Arte da Universidade Federal de Santa Catarina e realização da Associação Cultural Panvision.

Apoio