Entrevistas

Oberá en Cortos realiza parceria com o FAM pelo segundo ano

Luca Da Cruz, coordenador do festival. Foto Fernanda Hinnig
Luca Da Cruz, coordenador do festival. Foto Fernanda Hinnig

O Festival Internacional de Curta-Metragens Oberá en Cortos, de Oberá, cidade da província de Missiones, Norte da Argentina, dá sequência pelo segundo ano a uma parceria com o FAM para promover os curtas-metragens latinoamericanos. O coordenador do festival, Luca Da Cruz, conta mais sobre a parceria na entrevista.

Pergunta – O que representa a parceria com o FAM?
Luca Da Cruz -
O Oberá en Cortos tem a proposta de trazer a diversidade da produção regional e também integrar o audiovisual dos países, como o FAM. É o segundo ano que realizamos este convênio. A razão principal é que ambos os festivais compartilham as particularidades de formar público e serem janelas para a produção audiovisual da região. Ambos não só mostram conteúdo e sim tem a proposta de trabalhar linhas de capacitação, debate e política audiovisual. Agora vamos começar a trabalhar em outras linhas mais concretas de parceria. Também coordeno o espaço INCAA no norte do país, pra mim é interessante também vir ao FAM pra traçar uma linha e levar mais filmes brasileiros pra Argentina.

Pergunta - Essa parceria inclui a exibição de filmes vencedores entre os festivais?
Luca Da Cruz -
O ganhador do prêmio do público no festival de Oberá do ano passado, Jasy Porã, veio ao FAM este ano nos representar na competição. E ano passado exibimos A história da eternidade. Também compartilhamos com o FAM muito da ideia da programação.

Pergunta - Como o público e Oberá recebe os filmes daqui?
Luca Da Cruz -
A distância não é tão grande, há muitas semelhanças com o que nós produzimos e um entendimento mútuo. Eu me refletia muito nas coisas que se produzem aqui, a recepção é boa. É a primeira vez que venho ao FAM, o festival é muito integrado à universidade, isso é positivo. Vu muito público jovem e fiquei fascinado de ver tantas crianças. O importante de um festival latinoamericano é formar audiências, começar a cultura, o costume de poder ir a salas de cinema e ver essas produções, é um grande resultado do FAM, vi muita gente nas salas.

O FAM 20 anos tem o patrocínio do Governo do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esportes/FunCultural, da Petrobras e do Governo Federal, com apoio da Secretaria de Cultura da Universidade Federal de Santa Catarina e realização da Associação Cultural Panvision/ A.C.S.

 

Apoio